Follow by Email

sábado, 11 de janeiro de 2014

1:45 da manhã, e eu falando comigo

Eu quero companhia. Não posso ficar sozinho. Sei que estou sozinho. E vocês não têm com isso. Mas continuo a querer. E continuo a crescer. Estou a envelhecer. E nada posso fazer. Até quando vou rimar, eu sinto falta de ar. Cadê minha inspiração? Foi-se no meu expirar. Enquanto pensava no medo. No medo de viver só. Eu sei que falo bobagens... Estou implorando por dó! Mas saibam, amigos que leem. Que mesmo estando encolhido. Nas coisas que agora lhes digo, eu já me sinto acolhido.

Palavras são minhas amigas.
E sua atenção ao que digo.
Obrigado pela leitura.
Me desanuvia os sentidos.