Follow by Email

segunda-feira, 12 de março de 2012

"Better to be hated than loved for what you're not"

Ouvindo a canção I'm Not a Robot da Marina e seus diamantes, comecei a pensar em como nos transformamos em coisas que não nos dizem respeito apenas por aceitação... E o fator ridículo nisso tudo é que, no fim das contas, você não está sendo aceito de verdade: "aceitam" o que se tenta ser, ou se finge ser, mas nunca você. De uma forma ou de outra, essa fuga de si mesmo pode denotar algo ainda mais notório e doloroso: que você não tem a mínima ideia de sua essência, e vai tentando, erraticamente, se encontrar na vida de outras pessoas...

A autenticidade é algo bastante raro, meus queridos.

A única "possível solução" pra isso, a meu ver, é algo muito mais simples do que saber quem é você: saber quem você não é. E admita comigo, caro leitor, que não é tão difícil perceber quando não fazemos parte de um mundo. Quando enfim se percebe, sabe que tem coisas que precisam ser corrigidas... E nessa hora, você pode lembrar que "é melhor ser odiado que amado pelo que não se é", pois ainda existe esperança. Esperança que lhe amem pelo que você possa verdadeiramente ser... E assim ser.

Engrenagens

E tudo se faz,
Tudo se tenta,
Tudo é tramado
Contra a sentença

Somos robôs,
Papéis de nós mesmos
Somos treinados
Pra agirmos direito

Somos uns asnos,
Por sermos assim
Fugindo daquilo
Que nos faz feliz

Daí me pergunto,
“Há felicidade?
Será que ela existe,
Será de verdade?”

Nem sempre acredito
No que vou dizer:
Pareço iludido,
Mas assim devo ser

Querendo o presente
Em algo profundo
Pois mesmo no raso,
Ainda me afundo

Também tenho medo
De não ser feliz
Mas não, não desisto
A vida me quis

Se estou por aqui,
Foi ela quem quis
Nem eu, nem você
A vida me quis


2 comentários:

  1. fazia tempo que não vinha por aqui.
    AMEI a letra , e amei o seu texto.
    é isso mesmo.

    ResponderExcluir
  2. Obg, linda! Marina sempre me deixa pensativo! hahahahahah

    ResponderExcluir