Follow by Email

sábado, 4 de agosto de 2012

"O pagador de promessas"

"'Cause all of the stars are fading away
Just try not to worry, you'll see them some day
Take what you need and be on your way
Stop crying your heart out"


O pagador de promessas

É como se não sobrasse poesia,
Só um relato incolor
É como se eu visse o mais pálido,
O mais pálido de minha cor

É como se me devorasse,
Com alma de uma serpente
Como se fosse uma presa,
Presa em ser suja e demente

É como se algo apagasse,
Sempre que acendesse a luz
Assim, que perdesse o sentido
Quando arrancado o capuz

Mas sei, eu preciso acordar,
Preciso ir trabalhar
Preciso ter todo a riqueza
Que vai me tirar desse lar
Pois eu quero me mudar
E não tenho mais anos p’ra dar
Já não me conte seus sonhos,
Só eles não fazem brotar
Eu quero somente seus braços,
Vontade de me levantar
Que sua mão me agarre,
Me tire desse mal estar
Pois em sua guia eu confio,
Você quem prepara meu chão
Não piso em cacos de vidro
Nem nestas migalhas de pão
Recobro esta pouca esperança
Naquilo que é seu e eu sei:
Se hoje sou um miserável
Amanhã, quem sabe, sou rei

E isso me faz acordar,
Preciso ir trabalhar
Guardar-me de nossa pobreza
Até nada mais nos matar
E só ardermos de amar

Estrelas ardendo,
De amar


Nenhum comentário:

Postar um comentário