Follow by Email

quinta-feira, 26 de maio de 2011

"Inconsciência"

Existe satisfação na dor? Pode existir... O prazer e a dor parecem-me extremos da mesma coisa, de nossos sentidos. E quando você perde um pouco de sua consciência, neste justo divisor de águas, talvez se confunda dor com prazer. Por isso, acho que por isso, este texto se chama "inconsciência". Sobre o que se descobre, quando em inconsciência.

Inconsciência

Gentilmente,
Sinto uma parte de você
Dentro de mim
E seu movimento me machuca,
Machuca-me com tanta doçura
Que, nisso,
Existe prazer
Você age como meu dono,
O dono a quem possuo,
E eu sou seu sujeito,
Seu desejo mais obtuso
É gentil a forma de me tratar,
E de me permitir chegar...
De ter receio em continuar,
Quando sabe que eu alcancei
O estado de não mais pensar

Onde é bom estar...
Não pensar

Talvez,
Nesse momento,
Você seja capaz de me captar...
Num rosto de olhos virados,
Sobrancelhas quase cerradas
E têmporas arroxeadas,
“Viole(n)tadas”,
O que escondo consegue fluir
Ao nada de sua consciência
Hedonista e encantada
Nesses segundos,
Você ocupa um espaço discreto
Onde não existem palavras
Mas não se confunda,
Por este não ser meu mistério
Ou segredo...
Meu lugar secreto
Sou eu mesmo

Só não tenha medo

(Não lhe quero mal)
Não tenha medo




"But the darkest pit in me is Pagan Poetry."

3 comentários: